Este foi um Natal com alguma nostalgia para o Comandante João Bela, recém reformado e que esteve nos comandos dos navios que ligam a Madeira e o Porto Santo durante 24 anos.

Passou-o em Viseu, com a família, onde vai voltar na passagem de ano, mas sentiu muitas saudades do Funchal desta época, “um lugar único.”

Primeiro, esteve a trabalhar na APRAM, mas com a concessão da linha passou para a Porto Santo Line. Um percurso profissional longo na região para quem tinha previsto vir apenas durante um ano. Gostou muito e por isso, por cá ficou.

Diz que “a Madeira continua no coração,” afinal, foi aqui que passou “os melhores anos profissionais e até mesmo pessoais.”

A família, mas sobretudo uma netinha, fizeram-no voltar ao continente. É de Aveiro, mas está a viver em Albergaria-a-Velha, onde tem a sua coleção de 1200 miniaturas de automóveis e alguns, “bem poucos”, barcos. Nesta nova fase, tem estado a reorganizar a casa, tem feito ginástica e foi convidado para dar aulas numa escola náutica, em janeiro

Em 2019, pensa vir à região três vezes, em maio, em agosto, dividindo o mês entre a Madeira e o Porto Santo e no fim do ano.

Um sonho? “Gostaria de ver a ampliação do Porto do Funchal, uma necessidade para que este porto continue a ser atrativo no mercado dos cruzeiros. É que nos últimos 12 anos, os navios cresceram em média, 100 metros e é preciso que as infraestruturas portuárias se adaptem a essa mudança.”

FaLang translation system by Faboba